Não estude na Ambra – Motivo 6 – Os cursos da Ambra University não seguem o padrão tradicional brasileiro de aulas expositivas

Sabemos que o uso de aulas expositivas é o método de ensino mais comum no Brasil. Raro são os professores e as faculdades que fazem algo diferente em sala de aula.

Quando há alguma diferença a esse modelo, o comum é somente dividir a turma em grupo e trabalhar apresentações ao longo do curso.

Os métodos diferentes como word caffé, case method, estudos de caso, etc são raramente utilizados no Brasil. Exceção feita às instituições de excelência como Fundação Dom Cabral, FGV, Insper, etc e alguns professores de poucas outras universidades.

A Ambra faz uso de um método de ensino proprietário chamado CAP Method® que segue um sistema com várias técnicas e métodos para trabalhar o conteúdo que acabam por estranhar o aluno brasileiro, ainda que ele viva no exterior. Como exemplo, o CAP Method® da Ambra costuma usar as seguintes técnicas além das aulas expositivas:

  1. método de caso (case method);
  2. apresentação oral;
  3. trabalho em grupo;
  4. flash class;
  5. aulas escritas;
  6. lições;
  7. estudos dirigidos;
  8. simulações de ambientes reais;
  9. office hours;
  10. debates escritos.

As aulas expositivas estão presentes em algumas disciplinas na graduação, mas não representam o único modelo em uso na universidade.

Isso causa estranheza a alunos que tiveram sua formação acadêmica (seja de ensino médio ou superior) no Brasil, pois na Ambra exige-se participação ativa do aluno.

Não basta somente assistir a aulas expositivas e ir bem em provas pontuais ao longo do período letivo. Para ser aprovado em disciplinas na Ambra, é necessário muito mais empenho do que isso. Conheça a maior reclamação dos que abandonaram a Ambra.