Ambra na Imprensa: e-escola e o futuro da sala de aula conectada

0
92

Em artigo para o “Ti Bahia”, o diretor de educação da Ambra, Alfredo Freitas, reflete sobre o ensino híbrido

Até o início de 2020, o ensino presencial ainda era a preferência da maioria. Com a chegada da pandemia, a educação a distância se tornou não só questão do querer, mas de necessidade.

Como Alfredo Freitas expõe no artigo, uma pesquisa recente com Dirigentes Municipais de Educação em todo Brasil, em mais de 4.472 municípios do país mostrou que 96% destes municípios (77% do total), já aplicam recursos do ensino remoto para ajudar na recomposição pedagógica do ensino durante a Pandemia. 

O ano de 2020 foi, de forma geral, o ano da descoberta da educação online. Já 2021, foi o ano da adaptação. A partir deste ano, 2022, o ensino a distância e híbrido já são realidade e se tornarão permanentes, em muitos casos.

“É preciso investir em internet, em acessibilidade e treinamentos para garantir que o futuro da educação chegue também para todos os brasileiros. Não há mais espaço para antigos preconceitos com relação aos benefícios do ensino remoto na formação de pessoas”, explica o diretor de educação da Ambra University.

Confira aqui o artigo completo no portal TI Bahia.